Bacalhau gratinado “sonho meu”

A Páscoa se aproxima e temos que comemorar essa data que significa renascimento principalmente neste momento difícil de isolamento social e reclusão. Pensei em uma receita prática e de fácil preparo, sem que perca com isso o sabor especial e o requinte. Que tal preparar um suflê de bacalhau gratinado pra alegrar o almoço ou jantar de sua casa? Sugiro fortemente experimentar, pois, essa receita é um sonho de tão deliciosa!

Ingredientes:

300 g de bacalhau dessalgado

200ml de leite de coco (usei Sococo)

3 colheres de sopa de maisena

2 colheres de sopa de água

3 ovos (gemas e claras separadas)

150 g de queijo em cubos (usei meia cura)

1 cebola brunoise (cortada em cubinhos pequenos)

2 tomates concassé (sem pele e sem sementes em cubos pequenos)

Noz-moscada e pimenta do reino branca moída na hora a gosto

Modo de preparo:

Dessalgue o bacalhau, deixando-o imerso em água de um dia para o outro trocando a água nesse intervalo de tempo. No dia seguinte, escorra a água do demolho, cubra-o com água fervente e escorra em seguida, reserve. Em uma panela, coloque o leite de coco, adicione a maisena diluída em 2 colheres de sopa de água e leve a panela ao fogo baixo, cozinhe mexendo continuadamente até obter um mingau, desligue o fogo, adicione as gemas uma a uma mexendo energeticamente para que as gemas não escaldem. Em seguida, adicione o tomate, a cebola, o queijo cortado em cubos pequenos, a noz-moscada, a pimenta, as claras batidas em neve, e, por último o bacalhau desfiado grosseiramente em pequenos pedaços. Misture tudo delicadamente, despeje em um refratário que possa ir ao forno, untado com manteiga ou margarina e polvilhado com farinha de rosca. Asse em forno médio preaquecido por uns 30 minutos ou até que esteja dourado. Sirva quente. Sugestão para acompanhamento: arroz e legumes salteados.

Dicas:

O bacalhau dessa receita pode ser substituído por merluza ou pescada.

Bom apetite e Feliz Páscoa!

Maria Sônia

Hambúrguer vegano com beterraba

O veganismo é um estilo de vida baseado em uma dieta sem consumo de qualquer derivado animal (carne, leite, ovos etc.). Uma nova tendência do mercado são os hambúrgueres veganos que possuem aparência e, por vezes, até sabor de carne, de modo a conquistar mais adeptos a esse estilo alimentar e fornecer produtos prontos a esse público que vem crescendo cada vez mais. Sabemos que o consumo de carne tem grande impacto sobre o meio ambiente e também, sobre o nosso organismo. Então, convido você a provar essa deliciosa receita, se permitindo a redescobrir sabores e  provar opções sustentáveis. A receita é, como sempre por aqui, rápida e econômica.

Ingredientes:

1 beterraba grande

1 colher de sopa de óleo

2 dentes de alho

2 xícaras de grão de bico cozido

1 xícara de quinoa em flocos

2 colheres de sopa de goma para tapioca

Condimentos: salsa, segurelha, pimenta dedo-de-moça (sem as sementes, alecrim e manjericão, tudo a gosto

Modo de preparo:

Em uma frigideira teflonada, coloque a colher de óleo, a beterraba descascada e fatiada e o alho, reduza o fogo pra baixíssimo como se fosse desligar e cubra, passado 5 minutos, vire as fatias e cozinhe até que estejam macias  (não muito). Em um bowl, amasse metade do grão de bico, adicione os condimentos e a quinoa e misture, reserve. No copo do liquidificador, junte a outra xícara de grão de bico e a beterraba, bata rapidamente. Em seguida, junte o batido ao grão de bico reservado no bowl e amasse com as mãos. Sobre uma superfície forrada com filme plástico, deite a massa obtida, dobre o plástico por cima da massa e abra-a com o rolo de macarrão numa espessura não muito fina, molde os hambúrgueres e, com o auxílio de um pão duro, vá colocando-os em uma assadeira untada com um pouco de óleo e leve-os ao congelador. Após estarem congelado, você pode retirá-los da assadeira e mantê-los conservados no congelador. Para prepara para o consumo, basta fritar em uma assadeira refratária untada com óleo ou azeite ou assarem assadeira forrada com papel manteiga untado.

Dicas:

O modo como usei a beterraba dá a cor semelhante à carne e um sabor delicioso aos hambúrgueres, o sabor da beterraba não fica acentuado nem predominante, esse é o segredo do preparo!

Você pode preparar kafta (espetinhos tradicionais da culinária árabe originalmente preparados com carne moída) com a massa base desses hambúrgueres veganos, faça porções em palitos para churrasco, em seguida, pincele com um pouco de óleo para não grudarem, asse no forno ou na churrasqueira.

Sensacional!

Maria Sônia

Suflé de queijo com cogumelos

Boa opção para essa época, por conta do frio e por encontrarmos cogumelos com maior facilidade e preços mais acessíveis. Então, não perca tempo, experimente!

Ingredientes:

150 g de cogumelo champignon

150 g de cogumelos portobello

2 colheres de azeite

Suco de 1 limão

Água

3 colheres de sopa de margarina

4 colheres de sopa de farinha de trigo

2 xícaras de leite

½ xícara de queijo parmesão ralado

½ xícara de queijo tipo emmental ralado

4 gemas

4 claras em ponto de neve mole

Noz-moscada e pimenta do reino moídos na hora a gosto

Modo de preparo:

Coloque os cogumelos em um bowl , adicione água o suficiente para cobri-los, junte o suco do limão e deixe descansar por uns 20 minutos, em seguida, lave os cogumelos com essa mesma água, seque-os com papel toalha e reserve. Leve ao fogo uma caçarola de fundo largo e de preferência grosso, coloque o azeite e os cogumelos fatiados em fatias finas e mantenha em fogo alto sem mexer por uns 5 minutos, chacoalhe a panela e deixe por mais 5 minutos, tempere com noz-moscada, pimenta e sal, mexa e desligue o fogo. Passe os cogumelos para uma vasilha e reserve. Na mesma caçarola, coloque a margarina, ligue o fogo, quando a margarina derreter, mantenha o fogo baixíssimo, como se fosse desligar, adicione a farinha de trigo e mexa com o auxílio de um pão duro, vá adicionando o leite aos poucos mexendo continuadamente, aumente um pouco o fogo e cozinhe por 5 minutos até obter um mingau, retire a panela do fogo, adicione as gemas uma a uma mexendo sempre, adicione os queijos ralados, o cogumelo reservado e misture bem, reserve. Bata as claras em neve e adicione delicadamente ao suflê. Em seguida Deite a massa em uma forma untada e polvilhada com farinha de rosca. Asse em forno 180°C por aproximadamente 35 minutos. Retire do forno e sirva. OBS.: Se servir como entrada rende 4 porções, caso sirva como prato principal, 2.

Dicas:

É importante que o preparo dos cogumelos seja seguido como o recomendado acima, para evitar que fiquem “borrachudos”. Caso opte por queijos menos salgados, verifique o sal antes de colocar o suflê na forma.

Supremo!

Maria Sônia

Salada agridoce de batata doce e maçã verde

Comer salada todos os dias é um hábito saudável, mas pode acabar levando a uma rotina com a perda do interesse pelo prato. Por isso, é importante variar! Que tal provar uma maravilhosa salada agridoce que leva como ingredientes principais a batata doce e a maçã verde?

Ingredientes:

1 kg de batata doce roxa

2 maçãs verdes (Granny Smith)

50 g de azeitonas pretas

50 g de azeitonas verdes

1 cebola grande

½ maço de cheiro verde

1 ½ xícara de maionese

Modo de preparo:

Coloque as batatas em uma panela de pressão, coloque 1 e ½ xícara de água na panela, feche a tampa, leve ao fogo e cozinhe por 5 minutos, contando o tempo após a panela pegar pressão. Desligue o fogo e aguarde a pressão sair naturalmente. Retire as batatas da panela, quando amornar, descasque, corte-as em pedaços pequenos colocando-os em um bowl de louça ou vidro, junte as maçãs picadas, as azeitonas, a cebola, o cheiro verde bem picadinho, junte a maionese e misture bem.

Dicas:

Não adicionei sal a essa receita, mas fica a seu critério.

Procure descascar as batatas com elas o mais quente possível, assim, na mistura com os outros ingredientes, os sabores e perfumes se misturam melhor.

 

Saudável e deliciosa!

Maria Sônia

Dadinhos de tapioca

Quer uma sugestão de entradinha/petisco diferente e rápido pra aquela chegada de amigos inesperada? A pedida perfeita são os dadinhos de tapioca: crocante por fora, macios por dentro e recheados de queijo derretido. Todos irão adorar!

Ingredientes:

1 e ½  xícara de tapioca granulada

1 e ½ xícara de queijo coalho ralado

500 ml de leite

1 colher de chá de sal

Noz-moscada e pimenta do reino a gosto

½ litro de óleo para fritar

Modo de preparo:

Junte a tapioca, o queijo, o sal e as especiarias em um bowl, misture e reserve. Coloque o leite em uma panela e leve ao fogo, quando ferver, despeje aos poucos sobre a tapioca sempre mexendo. Em seguida, despeje a mistura em uma forma pequena forrada com um plástico, passe o pão duro por cima para igualar, reserve fora da geladeira até ficar na temperatura ambiente e então leve à geladeira por 1 hora. Passado o tempo, coloque o óleo em uma panela pequena e funda e leve ao fogo, quando estiver quente, frite os dadinhos aos poucos, vá retirando e colocando-os sob papel toalha. Sirva a seguir acompanhado de molhos a gosto (sugiro geleia de pimenta).

Dicas:

Importante que a massa repouse o tempo sugerido, caso contrário, os grânulos ficarão muito duros ao fritar.

Caso opte por dadinhos mais condimentados, adicione cebola ralada, nesse caso, junte a cebola logo após a adição do leite.

Evite deixar o óleo esquentar demais para que a fritura frite por igual.

Essa é uma receita rápida e fácil de preparar, bem apropriada para aqueles momentos em que não dispomos de muito tempo e não temos algo pronto para servir.

Não deixe de provar!

Maria Sônia

Pão integral com centeio e cacau

O blog já tem em seus arquivos muitas receitas de pães integrais, mas, sempre buscando uma nova combinação de ingredientes e um novo sabor, acabo naturalmente criando e recriando preparações. Está leva centeio, farinha de trigo integral e cacau.

Ingredientes:

500 g de farinha de centeio

500 g de farinha de trigo integral

15 g de fermento biológico seco para pão

2 colheres de sopa de cacau em pó

1 colher de sopa rasada de açúcar cristal

1 colher de sopa rasada de sal

2 colheres de sopa de óleo

700 ml de água

¾ de xícara de nozes picadas (opcional)

Modo de preparo:

Em um bowl grande, junte os 5 primeiros ingredientes e misture muito bem, reserve. Amorne a água junto com o sal e adicione aos ingredientes secos reservados mexendo continuamente com o auxílio de um pão duro, em seguida, adicione o óleo e as nozes, volte a mexer. Cubra o bowl com um plástico e deixe a massa repousar por 30 minutos ou mais dependendo da temperatura ambiente. Passado o tempo, divida a massa em 2 partes iguais e, sobre um plástico polvilhado com pouquíssima farinha, molde um pão por vez, acomodando-o em seguida em uma forma para pão de forma ou forma grande para bolo inglês. Após moldar os pães, cubra-os com plástico e deixe-os repousarem de 30 a 40 minutos ou até que encha as formas. Leve para assar em forno médio preaquecido por aproximadamente 40 minutos.

Dicas:

Caso opte, substitua as nozes por outra castanha ou por sementes de girassol.

Você pode substituir o açúcar cristal por açúcar mascavo, adicionar um pouco de mel e utilizar fubá no lugar de farinha de trigo para enfarinhar, assim, esse pão se torna um delicioso aussie bread (pão australiano)!

dsc00110Maravilhoso!

Maria Sônia

Plantago (tanchagem) crocante

Vem crescendo o número de pessoas que tem se interessado por conhecer, cultivar e aproveitar as PANCs (Plantas Alimentícias Não Convencionas), plantinhas muitas vezes desprezadas e pouco reconhecidas, mas, que guardam grande conteúdo nutritivo e são cheias de propriedades. A que apresento hoje é a Plantago (Plantago major L.), também conhecida popularmente como acatá, erva de ovelha, nervosos, trachás, língua de vaca… Há quem a utilize com  fins terapêuticos: analgésico, anti-inflamatório, cicatrizante, sedativo, digestivo. Rica em zinco e potássio, tem sabor levemente ácido, lembrando o do broto de alfafa. Se encontrar por aí, plante uma mudinha e com o restante prepare essa receita fácil e rápida. Bom apetite!

Ingredientes:

(Para 5 folhas grandes de Plantago)

½ xícara de farinha de trigo

½ xícara de água

1 colher de sopa de óleo

½ colher de café de sal

Noz-moscada ralada a gosto

Modo de preparo:

Lave e seque as folhas, reserve-as. Em um pequeno bowl, misture a farinha com a água mexendo bem, adicione o restante dos ingredientes com exceção das folhas, misture. Passe as folhas uma a uma de ambos os lados na mistura obtida e frite-as em óleo quente sem deixar com que fiquem muito douradas. Depois de fritas, coloque-as sobre papel toalha para retirar o excesso de óleo. Sirva como acompanhamento para sopas e caldos, na finalização de pratos ou esmigalhe e adicione a farofas já prontas para dar uma deliciosa crocância, perfeitas também para acompanhar churrasco.

Dicas:

As folhas também podem ser consumidas cruas em saladas, nesse caso, fatie-as de tal qual a couve crua, em fatias bem fininhas.

Que grata (e saborosa) surpresa!

Maria Sônia

Chuchu à milanesa

Um jeitinho especial para preparar esse fruto maravilhoso. Pois é, o chuchu é um fruto. Não é consumido cru, mas, pode ser servido de várias maneiras: refogado, creme, sopa, suflê, bolo ou salada fria. Para consumo como refogado ou salada, prefira os frutos mais novos, menores e com casca brilhante. Quando estão maduros, com a parte de baixo se abrindo, são excelentes para a elaboração de suflês, pois, são mais consistentes e têm mais fibra. Quando estão bem novos, podem ser consumidos com casca (como no caso dessa receita). Não deixe de provar!

Ingredientes:

2 chuchus grandes

1 litro de água

½ colher de chá sal

¾ de xícara de farinha de trigo

Sal, chimichurri para legumes e noz-moscada a gosto

1 ovo

1 colher de sopa de água

¾ de xícara de farinha de rosca branca em flocos

Óleo para fritar

Modo de preparo:

Lave os chuchus, abra-os ao meio e remova as sementes, divida as metades em quartos, em seguida, cada quarto em duas fatias, reserve. Leve a água junto com o sal para ferver, quando ferver, adicione o chuchu reservado e branqueie/escalde-o por 5 minutos. Escorra sobre uma peneira dispensando a água, passe as fatias de ambos os lados na farinha de trigo temperada com os condimentos e vá reservando, em seguida passe no ovo batido como para omelete junto com uma colher de sopa de água e na farinha de rosca, frite aos poucos em óleo quente até ficarem dourados sem deixar escurecer.

Dicas:

Não é necessário remover as cascas dos chuchus quando elas se encontram bonitas, sem manchas. Para remover os pequenos espinhos que alguns chuchus contêm, basta removê-los com o descascador de legumes.

Aproveite!

Maria Sônia

Nhoque de mandioca e ricota

Nhoque é um prato conhecido, dei uma repaginada no tradicional utilizando mandioca e ricota para o preparo da massa. Ficou uma delícia, não deixe de provar!

Ingredientes:

500 g de ricota (usei da marca Quatá)

3 xícaras de mandioca cozida e amassada

1 ovo

1 colher de chá de sal

1 colher de sopa de chimichurri especial para legumes

½ colher de café de noz-moscada ralada

1 xícara de farinha de trigo (ou 3/4 de xícara de fécula de batata)

Modo de preparo:

Cozinhe a mandioca normalmente, escorra dispensando a água, aguarde amornar e passe-a pelo espremedor de batatas, pelo processador ou por um ralo fino caso a mandioca esteja muito enxuta. Junte a ricota, o ovo, o sal, o chimichurri e a noz-moscada, amasse bem com a mão até obter uma massa bem homogênea, em seguida, adicione a farinha aos poucos continuando a amassar com a mão (cuide com o ponto da massa, nem sempre é necessário adicionar toda a farinha). Deixe a massa descansar por uns 30 minutos. Passado o tempo, pegue pequenas porções da massa e faça rolos cilíndricos sobre um plástico aberto, corte os nhoques e vá reservando-os sobre uma superfície polvilhada com farinha ou sobre um plástico para não grudarem. Terminada toda a massa, leve ao fogo uma panela com um litro de água, quando ferver, adicione uma colher de sopa de sal e deixe voltar a ferver, adicione os nhoques aos poucos e deixe cozinharem até subirem à superfície da água, retire com o auxílio de uma escumadeira e vá colocando em um refratário. Estão prontos para você servir como desejar. O molho fica por sua conta, pois por ser de sabor neutro, esse nhoque irá combinar com qualquer tipo de molho.

Dicas:

Caso a mandioca esteja bem enxuta, isso é, com muito amido (esbranquiçada por dentro) você irá precisar usar pouca farinha para alcançar o ponto ou até será possível preparar seu nhoque sem a adição de farinha de trigo, o que é ótimo para quem é celíaco ou para quem optar por não adicionar glúten à receita.

Servi com molho bolonhesa e branco com cogumelos, nesse último, fritei os nhoques na manteiga, deixando-os com um sabor ainda melhor.

Delicioso como não podia deixar de ser!

Maria Sônia

Sopa especial de mandioca

O inverno tem data marcada para acabar, ele se despedirá de nós dia 22 de setembro. As sopas são pratos característicos dessa temporada que nos aquecem e nutrem. Mas, os bons apreciadores do prato não deixam de degustar uma boa sopa em qualquer época. Essa é deliciosa e leva como ingredientes chaves a mandioca (aipim) e a carne seca. Não deixe de provar!

Ingredientes:

600 g de mandioca cozida normalmente (não se esqueça de retirar o fio central da raiz)

500 g de carne seca

1 xícara de arroz (de preferência, arroz para risoto)

100 g de quiabo

1 cebola grande

5 dentes de alho

1 folha de louro

½ maço de coentro fresco

Noz-moscada a gosto

Modo de preparo:

Dessalgue a carne como indicado na embalagem ou, caso compre avulsa, corte-a em pedaço médios, coloque-os em uma vasilha imersos em água e mantenha assim por 12 horas trocando a água a cada 3 horas. Coloque a carne dessalgada em uma panela pressão, adicione a folha de louro, um litro de água, a cebola cortada ao meio, os dentes de alho inteiros e leve ao fogo, quando ferver, tampe a panela e cozinhe por 20 minutos. Deixe amornar, desfie a carne e volte-a para a panela. Amasse a mandioca com o auxílio de um garfo ou bata-a no liquidificador/processador com um litro de água (se oprtar por amassar a mandioca com o garfo, esse litro de água deve ser adicionado juntamente a ela no próximo passo), despeje na panela e adicione o arroz e os quiabos cortados bem fininhos. Baixe o fogo ao máximo e cozinhe até que o arroz esteja na consistência desejada, mexendo de vez em quando. Prove o sal. Adicione o coentro bem picado e a noz-moscada, sirva quente.

Você vai querer repetir o prato!

Maria Sônia